Do jardim para a mesa: cinco alimentos pouco conhecidos, mas super saudáveis

dia-23-9-2016-flor-capuchinhaNesta semana, estamos falando de flores. E para seguir na linha da nutrição, hoje a nutricionista especialista em gastronomia funcional, Cintia Milene Comelli Bussi, que é apaixonada por alimentação saudável e curiosa por novos sabores e ingredientes, divide suas descobertas com o Senhor Sabor, que incluem as flores comestíveis. “São dicas de alimentos pouco costumeiros pra nós, com sabores diferentes dos seus similares e com nutrientes e outros compostos benéficos”.

Vamos embarcar com a Cintia nesta aventura e aguçar o paladar para novos sabores da gastronomia saudável? “A maravilha da culinária e da gastronomia é a sua possibilidade de diversificar sabores, formas de uso, texturas e ainda fazer uma alimentação cheia de nutrientes e compostos que fazem bem. É um mundo apaixonante! Acho que poderíamos passar uma vida comendo coisas diferentes sempre, pois há tantas possibilidades! Você sabia que quanto mais sabores, mais exploramos o nosso paladar, mais nutrientes e compostos ingerimos? E quanto mais vamos diversificando, maior é a nossa saciedade e satisfação ao se alimentar? Os compostos bioativos que vão fazer um efeito funcional no nosso organismo, na maioria das vezes, são justamente aquelas substâncias que conferem a sensação de picância ou adstringência.”

Confira algumas sugestões que provavelmente você quase não deve ter ouvido falar, mas que são deliciosos e saudáveis e podem ser incluídos nos seu cardápio.

Castanha-de-baru: quando você come a castanha-de-baru sente uma explosão de sabores, notas de cacau, amendoim e café. É uma oleaginosa incrível não apenas em sabor, mas possui boas quantidades de zinco e antioxidantes. A castanha-de-baru está na Arca do Gosto do Slow Food, pois estava sendo classificada como um alimento em extinção. Com este movimento de redescobrir e incentivar o consumo desta castanha, colaboramos para que ela continue existindo!

Farinha de chufa: A chufa, também conhecida como tigernut (nome científico: Cyperus sculentus), é um pequeno tubérculo consumido há cerca de 4 mil anos.  É principalmente citado por seu uso de longa data na Espanha, mas é também muito cultivada na Ásia e África. Aqui no Brasil está disponível em forma de farinha ou do tubérculo seco, que pode ser usado como um petisco, lanche, ou mesmo em iogurte e frutas.  Possui um teor bem considerável de magnésio e cálcio, por isso tem sido associado a benefícios na saúde cardiovascular e também um excelente teor de fibras, sendo uma opção de prebiótico. A farinha fica ótima em pães e biscoitos.

Flores comestíveis: pode acreditar, flores podem ser um alimento e tanto no seu dia a dia! Além das cores que deixam pratos mais lindos, possuem muitos nutrientes e compostos bioativos. Apesar de no Brasil não termos a cultura de comer flores, como existe em outros países, há um sutil movimento e estímulo ao seu consumo por meio do tema das PANCS (Plantas Alimentícias Não Convencionais). Em Itajaí fiquei super feliz um dia destes, ao encontrar bandejinhas de flores comestíveis frescas e orgânicas na gôndola. Ainda só vemos flores em restaurantes de alta gastronomia, que já estão valorizando e utilizando mais. Mas é só uma questão de tempo! Eu uso diversas na minha culinária, mas uma das minhas preferidas é a capuchinha, que tem cores que vão do amarelo e laranja ao vermelho. Embelezam os pratos e, além de possuírem vitamina A e Z, contêm boas doses de luteína, um poderoso antioxidante e bioativo muito relacionado com a saúde visual.

Sorgo: chegou para nós há pouco tempo. Mais um alimento que na forma de grão ou farinha é fantástico para ser usado nas mais diversas receitas doces e salgadas. É um cereal milenar, muito utilizado na Índia e África. Sua farinha é feita a base de grãos moídos deste cereal, tem uma boa quantidade de proteínas, se comparado a outros cereais. Recomendo utilizar cerca de 25% a 30% do total de farinhas de um pão ou bolo. Os grãos podem ser usados em risotos, saladas e onde mais você imaginar que esse grãozinho lindo e saudável possa dar um toque especial no prato.

Ora Pro Nobis: vale citá-lo aqui, embora, já esteja tornando-se bastante difundido. A folha do Ora Pro Nobis tem alto teor de proteínas, ou seja, um alimento super interessante para vegetarianos e veganos. Contém outras substâncias funcionais, dentre elas arabinolactanos, protetoras da mucosa do estômago. Dá pra fazer pães, bolinhos, saladas, batidas e outras receitas surpreendentes.

dia-23-9-2016-cintia-2

 

(Visited 16 times, 16 visits today)

Deixe uma resposta