Arquivo da tag: Natal

Receita com gostinho de saudade

ss171201Nesta época do ano bate uma certa nostalgia. Os sabores do Natal trazem aquela lembrança da vovó e tem uma receita que é quase unanimidade: o pão de mel. Hoje, o Senhor Sabor apresenta uma releitura. O Bolo de Pão de Mel oferece mais praticidade para matar a saudade dessa delícia, já que não precisa ser porcionado, e mantém o sabor característico desse doce. Anote aí:

Bolo de Pão de Mel
Ingredientes:
200g de açúcar mascavo
100g de açúcar
180g de mel
4 ovos
200ml de leite
80ml de óleo de canola
80g de cacau em pó
1 colher de chá de fermento
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
350g de farinha de trigo
Especiarias, como por exemplo, cravo, canela ou gengibre

Modo de preparo:
Misture o açúcar mascavo, o açúcar e o mel. Em seguida, adicione as especiarias raladas e os ovos. Acrescente o óleo e o leite. Depois o cacau, o fermento, o bicarbonato de sódio e o trigo. Bata tudo até formar uma massa homogênea. Divida e asse a massa em duas formas, para poder rechear.

Recheio
Ingredientes e modo de preparo:
Se você não encontrar um doce de leite firme pronto, coloque uma lata de leite condensado fechada em uma panela de pressão com água. Leve ao fogo alto e conte 30 minutos após a panela começar a chiar.

Cobertura
Ingredientes e modo de preparo:
Derreta 400g de chocolate meio amargo e misture em 200g de creme de leite fresco até criar uma pasta homogênea.

A história do tradicional Panetone e uma receita do delicioso Chocotone

ss161201Há males que vem para o bem. E que são muito bons. Como, por exemplo, o Panetone. Diz a lenda que o tradicional doce natalino foi criado a partir do erro de um assistente de padeiro da região de Milão, na Itália, chamado Toni. Ele estaria tão cansado de tanto produzir na véspera do Natal que, ao assar uma última fornada de pães enquanto preparava uma torta a pedido do chefe, se perdeu nos ingredientes e colocou as uvas passas na massa de pão. Para tentar resolver a situação, acrescentou todos os outros ingredientes da torta – frutas cristalizadas, manteiga e ovos. A mistura fez o maior sucesso na ceia do chefe e, a partir daí, o “Pane di Toni” passou a ser produzido todo fim de ano.

No Brasil, acredita-se que a iguaria chegou junto com a onda de imigrantes italianos, lá pelo século 19, e ficou tão popular que hoje o país é o segundo maior produtor de panetones do mundo, ficando atrás apenas da Itália. Aqui, já ganhou várias versões, de doce de leite, trufado e um super comum: de chocolate. Hoje, o Senhor Sabor traz uma receita do chocotone para você preparar com a família. Anote aí:

Chocotone
Ingredientes 1ª massa:
100g de fermento fresco
1 colher (sopa) de açúcar
250ml de água morna
375g de farinha de trigo

Ingredientes 2ª massa:
400g de preparo para panetone mix
900g de farinha de trigo
6 gemas
1 pitada de sal
350ml de água morna
1 colher (chá) de aroma de panetone

Ingredientes recheio:
500g de gotas de chocolate

Modo de preparo:
Para a primeira massa, misture o fermento biológico com o açúcar até dissolver, adicione a água morna e a farinha, misture bem e deixe descansar por aproximadamente 40 minutos, até dobrar de volume. Para a segunda massa, bata na batedeira o preparo de panetone, as gemas, o sal e o aroma. Coloque essa mistura em uma vasilha grande, acrescente a primeira massa e misture a água morna. Adicione aos poucos a farinha de trigo e amasse até obter uma mistura lisa e homogênea.
Divida a massa em cinco partes iguais, abra um pouco e coloque o recheio de preferência. Deixe descansar. Eles devem crescer até chegar à borda da forma. Asse em forno médio, preaquecido, por 50 minutos. Espere cinco horas para embalar.

Três dicas de presentes para este Natal

É tanta correria no fim do ano que, às vezes, fica difícil arrumar tempo para comprar os presentes de Natal. Como a gente sabe que os encerramentos e os amigos secretos são muitos neste período, listamos três dicas de presentes gastronômicos para facilitar a busca. Anote aí:

– Para o amigo glamoroso e chocólatra

estrelinhas-de-natalAs Estrelinhas de Natal da Nugali Chocolates, um produto exclusivo deste período, é a opção certa. Cada caixa contém 20 estrelas de chocolate recheadas com marzipan, avelã, cranberry, caramelo ou ganache de café. Todas as opções são com chocolate ao leite, com exceção do cranberry, que vem acompanhado de chocolate branco. Os bombons especiais em formato de estrela têm sabores que remetem ao clima natalino, e recebem decoração especial com corantes naturais, à base de extratos vegetais de urucum e cúrcuma. Peso líquido: 190g. Valor médio: R$ 55.

– Para o amigo solidário

panetone-do-bemQue tal presenteá-lo fazendo o bem? Temos certeza que ele vai adorar e se deliciar. Você pode montar um kit com os dois sabores de Panetone do Bem que estão sendo comercializados pelo Galegão Supermercados. O lucro arrecadado com a venda é integralmente destinado aos idosos da Casa São Simeão, em Blumenau, e às mulheres que buscam atendimento na Rede Feminina de Combate ao Câncer de Gaspar. Os sabores são Chocotone e Tradicional (frutas cristalizadas). Peso líquido: 450g. Valor: R$ 7,99 na embalagem plástica ou R$ 8,99 na embalagem para presente.

– Para o amigo festeiro

bossa-belliniA Decanter, em Blumenau, tem uma supernovidade para a estação mais quente do ano. O Bossa Bellini, da Vinícola Hermann, é um vinho seco e refrescante, que harmoniza com os pratos leves do Verão, como canapés, saladas e frutos do mar. Peso líquido: 750ml. Valor médio: R$ 44,90.

Molho Choron por James Winter

molho-choronSeguindo a ideia de aproveitar receitas clássicas de fim de ano, hoje o Senhor Sabor apresenta o Molho Choron, relembrado por James Winter, no livro “Quem colocou filé no Wellington?”. Este acompanhamento é uma adaptação do béarnaise, feito pelo chef Alexander Choron, que substituiu o estragão por tomate picado e deu um novo sabor aos franceses que buscavam manter o glamour no Natal em uma época em que o reinado de Napoleão sofria derrotas e os suprimentos eram cada vez mais escassos no país.

Percebendo que os parisienses estavam distantes de caviar e lagosta, mas queriam comer bem, Choron teve a ideia de servir, no Restaurante Le Voisin, pratos exóticos, com carne de urso e elefante, que eram acompanhados do molho béarnaise adaptado. A refeição servida na ceia de Natal em 1870 tornou-se uma lenda. Depois que a França voltou a ser reabastecida, os moradores passaram a ter uma visão mais igualitária da comida e muitos chefs acabaram perdendo espaço. Contudo, a gastronomia do país é uma escola, com receitas clássicas e que compõem a história da culinária mundial. O Molho Choron é uma dessas, mesmo sendo menos usado que o béarnaise, sua criação é memorável e nós dividimos ela com você. Anote aí:

Molho Choron
Ingredientes:
3 colheres de sopa de vinagre de vinho branco
3 colheres de sopa de vinho branco
10 grãos de pimenta do reino levemente amassados
2 colheres de sopa de cebola picada
1 colher de sopa de extrato de tomate
3 gemas de ovo
200g de manteiga derretida
Sal e pimenta do reino moída na hora
1 colher de sopa de salsa picada

Modo de preparo:
Coloque o vinagre, o vinho, os grãos de pimenta, a cebola e o estragão numa panela e deixe levantar fervura. Reduza o fogo e cozinhe até que o líquido fique reduzido a uma colher de sopa. Adicione o extrato de tomate e uma colher de sopa de água, e misture bem. Coloque as gemas e bata por cerca de três minutos em fogo baixo ou até ficar espumoso. Adicione a manteiga em fio contínuo, batendo sem parar, até que o molho engrosse. Tempere com sal e pimenta do reino e passe o molho em uma peneira. Mantenha-o aquecido.

Inove nas ceias de fim de ano

As pessoas podem não saber a origem, mas todo mundo sabe que é tradição consumir carne de porco nas ceias de fim de ano, principalmente no Réveillon. Para os desavisados, o Senhor Sabor explica: muitas culturas defendem que, como o porco é um animal que fuça para frente, a vida seguirá o mesmo caminho. Porém, se a festa for para poucas pessoas, é inviável assar um leitão inteiro, por isso, o corte mais procurado pelos brasileiros para este período é o pernil. Pensando em ampliar essas opções, a Olho Embutidos e Defumados, que lançou novos produtos em 2016, dá dicas de quais outros cortes suínos podem ser degustados nas ceias de fim de ano. Confira:

picanhaPicanha suína: esse corte se assemelha à carne bovina, é bastante macio e suculento. Possui uma capa de gordura e uma boa sugestão é preparar a picanha na churrasqueira.

mignonMignon suíno: também é muito parecido com o mignon bovino nos quesitos gastronômicos, porém, com a vantagem de ter um custo reduzido. Possui baixo índice de gordura.

sobrepaletaSobrepaleta: conhecida também como Copa Lombo, é uma região do suíno extremamente marmorizada. Essa gordura presente entre a carne deixa o corte ainda mais saboroso.